domingo, 5 de dezembro de 2010

A Colher dos Finalistas



*
Há uma história sobre penosas,
Gordas como só a pedrês do vizinho,
Esgravatavam umas receitas preciosas,
Nas estudantis cogitações pecaminosas,
Regadas com a inspiração de imenso vinho,
Néctar que nunca um Estudante deixa sozinho,
Esse professor de posteriores lições miraculosas!

Sabe-se de um tardio jantar prometido,
Pela tradição que a quase todos dava jeito,
Se alguns estudavam para um futuro perfeito,
Outros já eram doutores de galinheiro prevenido;
Despreocupada cacarejava a galinha sem preconceito,
Se uns preferiam a tentação da coxa ou cobiçado peito,
Asas fortes em pratos de moçoilas, era desejo resolvido!

Nas entrelinhas dos livros da vida,
Entre a cultura dos sábios consagrados,
Histórias sobre estudantes mais empenhados,
Ensinam aos mestres de juventude perdida,
O segredo mal guardado na exacta medida,
Do mesmo empenho e iguais predicados!

Namoravam-se as pitas depois de muito estudo,
Água na boca matava a sede ao ver as mais gordinhas,
Combinava-se o encontro entre a raposa e as galinhas,
Todo pedrado de crista murcha lá dormia um galo mudo,
Mas para convencer as penosas já era um caso bicudo,
Prometia-se a panela onde ficariam bem quentinhas!

Era a feijoada prato no fim do dia com enorme potência,
Onde os galináceos voluntariosos aprenderiam a mergulhar,
E nem um “perdido” porco encontrado por aí a deambular,
Deixou de dar o corpo pela comparticipação da exigência,
Na falta do fogueteiro, continua a festa com flatulência,
São os donos convidados de quem os andou a roubar!

Mas é preciso uma forte colher,
Colher leve, imensa como a sabedoria,
Deve ter carácter e o querer da idolatria,
Ser forte na certeza do rumo que se quer,
Saber misturar os condimentos de mulher,
Com o jovem tempero de varonil filosofia!

Há histórias de Colheres vestidas de Fitas,
Entrelaçando o futuro das cores numa difícil travessia,
Que começa numa despedida de Finalistas!

*



2 comentários:

El Comandante disse...

Uma obra em torno de um ciclo que se acaba e um que começa...

Palavras expressivas de modo suave.

epee disse...

5.DEZ.2010
KrystalDiVerso, em clima de festa, presta sua homenagem aos Finalistas 2010-2011.

Do prato principal, aos condimentos, também não faltou o acessório indispensável como garantia de sucesso à boa qualidade dos muitos sabores que fazem parte de todos os jovens formandos, o saber fazer acontecer dos versos: “Deve ter carácter e o querer da idolatria / Ser forte na certeza do rumo que se quer...”.

Mais que contar a história n“A Colher dos Finalistas”, o poema de amor é também poema de admiração, de força e de estímulo aos caminhantes, que não errem os passos, porque o caminho no “futuro das cores numa difícil travessia” se chama apenas o COMEÇO de um sucesso profissional “Que começa numa despedida de Finalistas!”.




¬
Seus melhores poemas continuam sendo aqueles onde a voz poética, misturada à sensibilidade e à experiência, fazem coro frente ao uniVerso.

Bom fim de semana, DiVerso.