domingo, 26 de dezembro de 2010

Anúncio de KrystalDiVerso




Como tudo tem um FIM, com ou sem princípios, KrystalDiVerso, finda-se... naturalmente!
A todos que passaram por este meu “ARQUIVO”, agradeço o "sacrifício"; para os que tiveram a paciência de LER os Poemas e outras tantas histórias, louvo-lhes o esforço!

Propus-me, desde o primeiro dia, a escrever cem (100) Poemas; dois anos depois, essa META está a um Poema de ser atingida!... Assim, antes do último dia do ano de 2010, será publicado o último Poema de KrystalDiVerso!

Sem saudade... confesso!

Obrigado!



A. Pina

Escolham entre... beijos e abraços




4 comentários:

epee disse...

No começo, preferia os abraços aos beijos. Com o tempo, passei a desconsiderar a opção, não importava muito. Ou não importava mesmo.

KrystalDiVerso se transformou num lugar de refúgio. Um abrigo. Um livro onde pudesse folhear suas páginas e fazer as considerações que julgava ter assimilado sobre aquele poema, ou sobre aquela história.

Histórias essas, recheadas de amor e mesmo quando não era um poema de amor, no seu desfecho, no verso, ou na palavra livre, proporcionando a oportunidade da mais bela das reflexões, implicitamente o amor surgia, como num passe de mágica.

Porque o amor pode ser escrito, assim como em muitas línguas, também de muitas formas e em KrystalDiVerso sobra amor.

DiVerso, avesso aos elogios, usufruiu da auto crítica.

Experiência de vida é uma coisa muito solitária. Transformar essa experiência em poema e levar o leitor a uma reflexão é quase uma violação à sociedade onde estamos inseridos. Uma espécie de transgressão, no bom sentido. Krystal, num ato de coragem, lucidez e força, no bom uso dos versos, faz dessa experiência nossa cruz e forçosamente no obriga a carregá-la.

Na voz, o grito. O dedo em riste. A ironia. DiVerso. Coberto de razões, algumas vezes incompreendido. A justiça. A bondade. A verdade acima de tudo. E de todos. Doesse a quem doesse. E doeu, muitas vezes.

É claro que as diferenças existiam. As dificuldades também. E não se restringiam ao português-BR entre o português-PT. Era cultural também.

O vocabulário, rico em versos e rimas, era em sua maioria desconhecido e exigia além do auxílio do dicionário, que todas as vias de acesso fossem abertas para que a poesia entranhasse em minha pele e só assim, então, era possível aDsorvê-lo.

E eu o aDsorvia. Ao término de cada leitura ficava em mim, mais que a poesia, a lição.

Sem ‘sacrifício’ e com prazer, acostumada a criar meu próprio ambiente, fazia parte daquele uniVerso. Umas vezes como personagem principal, outras como coadjuvante, palco ou plateia.

Mas a verdade é que sentia-me muitas vezes como parte integrante daquelas linhas e mesmo que elas fossem paralelas, não sei como, em algum momento, imaginariamente, elas se tocavam.

Renovada, ao término de cada comentário, fechava as páginas de KrystalDiVerso e saía em paz.

Mesmo que fossem poemas de dor, o espelho refletia as muitas faces de uma mulher, que se procurando, se encontrava e se encontrando, brigando com a imagem, às vezes, ou com espelho, a verdade não deixava de ser a VERDADE.

Era preciso mais que refletir.

Era preciso aceitar e aprender a conviver com toda a sua dor, ou com a sua própria limitação e ausência.

Neste uniVerso chorei. Ri. Senti dores que talvez nunca me esqueça, mas também fui imensamente feliz. Vivi histórias de amor e de amizade, de fé e de esperança. Adquiri conhecimento. Troquei certezas por dúvidas, depois dúvidas por convicções.

‘DiVerso sem Preconceitos’, a poesia DiVersa liberta.

Não aprendi a voar.

Mas aprendi a amar.

Vou sentir saudade. Já sinto saudade.

Aguardamos então, o último poema.

Teresa Castro

Anónimo disse...

E nunca um poema foi tão esperado...


Feliz Ano Novo!

poetaeusou . . . disse...

*
Amigo, repensa . . .
,
que as vagas de 2011,
vos(te) traga um mar de saúde e
marés de coisas boas (se possível)
,
abraçada amizade,
,
*

epee disse...

Nem "sacrifício", nem "paciência"...

As palavras escritas em versos e rimas são palavras exortadas e havia, mais que a vontade de ler [ouvir], a vontade de aprender.

Com saudade de KrystalDiVerso... Confesso!

¬