sábado, 10 de janeiro de 2009

Como um Por do Sol de Areia Fina




Pairo sobre o gelo da tristeza,
Sepultada sob o manto pesado de neve,
Não por minha alegria longa e breve,
Ou minha egoísta avareza,
Cega a tanta promessa indefesa,
Que boceja indiferente e leve,
Sofrendo em silêncio clandestino,
Exilado em terra de anónimo destino,
Escrito pelos homens novel enredo,
Prémio de glória consagrada no medo,
Covardia minha a qual abomino,
Por tão ganancioso degredo!

Na penumbra branca do desprezo,
Congelo-me sonâmbulo esquecido,
Sonhando degelos de glaciar amigo,
Em sonho de brasume aceso,
Onde meu corpo arde e sai ileso,
Por dormir sobre Amor perdido!

Como um Por do Sol de areia fina,
Preso numa ampulheta sem tempo,
Escorre de uma âmbula cristalina,
Para a âmbula de igual momento!

Tudo Escorre por entre os dedos,
Neve fria e seus segredos,
Como um por do Sol de areia fina!

6 comentários:

Maysha disse...

Ola, agradeço a visita,

Desejo um fantástico fim de semana, e deixo um beijo de luz.

Voltarei sim?

O Profeta disse...

Um abrigo feito de pedras
Uma porta sem entrada
Uma janela fugida à luz
Aprisiona alma desencontrada

Um tecto feito de estrelas
A Lua brinca com fios de luz
Um cometa passou rasante
Um coração o outro seduz



Bom domingo


Mágico beijo

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Valentim Coelho disse...

Olá KrystalDiVerso,
Obrigado pelo teu comentário ao meu blog.
Claro que tive de dar uma vista de olhos ao teu. Gostei do que escreves-te. As imagens são bonitas, carregadas de fantasia. Como é que as consegues!!
cumprimentos.

As Chamas do Fénix disse...

Muito bom... dificil reter a areia dificil reter a neve...que fiques em ti o Dom de escreveres assim...

Uma Grande Chama para ti...Beijos

Epee disse...

DiVerso,

branco gelo que como areia fina, escorre, entre dedos, de mãos...

sentimentos que não se contém no espaço restrito da palma, que foge e pede abrigo ao por de sol, que aquece e derrete... suave alma, sofrida... necessita carícia do tempo, que envolve sob manto de neve leve, seus mais íntimos desejos... tal qual alma... de mulher!



Krystal,

boa quinta-feira!