quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

A Prenda

Embrulhou a solidariedade
Numa caixa de promessas florescentes,
Com lágrimas sujas de indigentes,
E enfeitou o evento com ventos de vaidade,
Polvilhados de reconhecida notoriedade,
Pela carteira competente.
Faltava o Laço!...
Mas esse laço, nó cego de carinho,
Era a prenda que da caixa ria baixinho!

Quero prata,
Quero ouro e diamantes,
Beleza intacta,
Quero minha mulher e amantes,
Quero preguiça, sorte e admiração,
Escravos, concubinas, exaltação;
Quero o fim acabado no início como dantes,
Regredir na opção,
E glosar a repetição,
Do sabor do meu poder,
Onde tudo voltará a ser
A força de minha razão!...
Então, até deus se postará,
Perante tão poderoso eu;
Será eficaz a mensagem
Para que me seja prestada vassalagem.
E tudo mudará!...
No esquecimento o que prometeu,
Não ser prometido o que esqueceu!
Serei, enfim, imortal,
E como tal,
Prometerei o que Deus não prometeu,
Haverá todos os dias um só Natal,
E ,_ pobre infeliz,_ não será o teu,
Mas, única e tão só, o meu!

Embrulhou a solidariedade
Numa caixa de promessas florescentes,
Com lágrimas sujas de indigentes,
E enfeitou o evento com ventos de vaidade,
Polvilhados de reconhecida notoriedade,
Rematada com um laço de emenda!...
Mas esse laço, nó cego de carinho,
Era a única prenda,
Que dentro da caixa ria baixinho!

Olhos de luz cruzando a Natividade,
Como que enlaçando desejo e felicidade,
Numa volátil lágrima de cristal,
Talvez diluída na austeridade,
De um brilho frágil de Natal!

*
Há almas assim!...
Almas tão cheias de nada,
Pesando um universo de confusão,
Sobre a vontade da compreensão,
Que bem longe daquela “Estrela”,
Não trocando a avareza descarada,
Mergulham na vergonha roubada,
Nunca à pobreza estendendo a mão!
*
Há almas assim!...
A tropeçar no Natal indigente,
Pisando o Natal do mundo,
Ignorando o sentimento profundo,
De ser Pai de um Jesus diferente,
Sendo igual ao de toda a gente;
A esperança da imortalidade feliz,
Alimentada bem fundo,
Por toda uma alma nutriz!
*

Mesmo o hipócrita refém
Do egoísmo ausente de dor,
O desejo do Natalício calor,
Será sempre um apelo divino,
Que converterá todo o mal,
Na pureza inocente de um menino,
Nascido nessa noite de Natal!
*

Mas…
Ainda se encontra por aí,
Bem à nossa frente,
Um pouco de quem sorri,
No coração de muita gente!
Gente simples, simplesmente,
Tão simples por nada ter,
Dando tanto gentilmente,
Tão gentis por assim ser,
Embrulhando todo o Amor,
O futuro que vai nascer,
Com a felicidade de ser Mãe,
Não só de seu Filho, seu Senhor,
Mas de todos os filhos também!
*
Deus meu, ajudai-me a ver
Que sentido fazer!
Guiai-me, um sinal fugaz,
Pelo estábulo, à manjedoura,
Onde possa eu ser capaz,
Afagar macio feno abençoado,
O sabor da esperança duradoura,
O nascimento do verbo encarnado!
Da cruz, no cântico, na bondade,
Pela tolerância, a piedade;
Mensageiro de Paz, Amor louvado!
*

Não!...
Não mereço tal privilégio,
Seria um sacrilégio,
Um pretensioso pecado,
De um pecador mil vezes arrependido,
Mil vezes repetido,
Mesmo que mil vezes perdoado,
E outras tantas decalcado!
*

Mesmo o hipócrita refém
Do egoísmo ausente de dor,
O desejo do Natalício calor,
Será sempre um apelo divino,
Que converterá todo o mal,
Na pureza inocente de um menino,
Nascido nessa noite de Natal!
*

Ainda se encontra por aí,
A felicidade de ser Mãe,
Não só do Filho, seu Senhor,
Mas de todos os filhos também;
A esperança da mortalidade feliz,
Alimentando carinhoso Amor,
Por toda uma alma nutriz!
A volátil lágrima de cristal,
Talvez já diluída no furor,
De um forte brilho de Natal.

12 comentários:

Darlan Machado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Darlan Machado disse...

Gostei do texto... um dos melhores que li até agora...

ah, fico com os beijos e abraços!


Volto

Anónimo disse...

Amigo Darlan, por lapso (pura distração ou desleixo) apaguei nseu comentário:(
Não perdi e agradeço.
Se o puder repetir, agradecia e atrevo-me a pedir que me conceda o prvilégio de linkar seu blog no meu blog.
Simplesmente porque gostei da essência! Da Alma.
Entre bjs e abraços...escolha!

KrystalDiverso disse...

Pois é, amigo Darlan, mais um lapso;
o an´nimo anterior...KrystalDiVerso!

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá, grata pela visita ao meu blogue... Gostei do seu texto... Parabéns!!!
Beijinhos,
Fernandinha

rokerhunter disse...

Amiga(o),que lhe fizeram? Há qualquer coisa no que escreve que mete medo... ou pena!... Estive a decifrar o seu muito tenro blog e constatei versos muito estranhos, esforçados e até, muitos deles preechendo poemas cansativos! reparei também que não lhe fizeram muitos comentários; adivinhe porquê. É isso amiga, ser poeta é um fluido que escorre suavemente da fonte do poeta, da natureza das coisas. Seus poemas "brotam" de marretadas que, embora certeiras, visam atinjir um objectivo espectacular! Cuide-se e cuide dessa poesia "hollyoodesca". Ainda que bem estruturada!....
Enfim...
Tenha um feliz Natal e que não receba apenas laços como prendas; Se os receber que sejam laços de Amizade! O mesmo desejo para todos os que Ama.

Xana disse...

Vim aqui mais uma vez , e li um poema lindo ...triste mas muito lindo.
A si lhe dou uma caixa cheia de esperança econforto envolvida por um papel fino cheiroso e um simples laço de ternura.
Feliz Natal :)

Fragmentos Intemporais disse...

Que a magia do Natal chegue aos corações de todos!

A ti em especial desejo-te um Natal sem limites, repleto de tudo aquilo que mereces!

Beijocas Intemporais!

Darlan Machado disse...

Me sinto lisonjeado com a oferta, e aceito de muito bom grado. É bom saber que pelo menos a essência do que escrevo está realmente sendo passada, essa sempre foi minha preocupação, a poesia tem esse poder^^.
Muito Obrigado.
Abraços, e Boas festas de Fim de Ano.

Sininho disse...

Ainda há quem saiba sorrir e amar sem pedir um laço de ouro em troca =D

Espero que o seu Natal tenha sido passado na companhia de quem mais gosta e que 2009 lhe traga força e perseverança para enfrentar marés altas (e baixas); mas acima de tudo, caminhar de pés assentes no solo e olhar vigilante no Horizonte!!

Um beijo enternecido*

Anónimo disse...

vamos todos bloquear o http://roquerhunter.blogspot.com

assim não terá acesso aos nossos blogs.

Dona Sra. Urtigão disse...

Sou mesmo uma velhinha intrometida, mas ao ver um anonimo propondo um bloqueio a um blog, logo tenho ansias de intrometer-me, mesmo que a casa e quintal não sejam meus. Primeiro que penso que uma proposta que cerceie liberdade de expressão deva vir devidamente identificada, pois senão parece-me que volta-se a recursos de Inquisição católica ou de certas ditaduras. Depois, este é um "universo" que se pretende livre, e quem não gosta tem toda a liberdade de, ao ver de onde parte o comentario, não ler e/ou não postá-lo. De minha parte, ja esbarrei em algumas páginas com o rokerhunter ou roquerhunter e não o achei ultrapassando limites de decencia e bons costumes. Apenas expressando suas opiniões e, quem sabe, até mágoas, da mesma forma que expressamos todos nós que utilizamos esta mídia.