quarta-feira, 1 de abril de 2009

Mimosa


Estou na verdura nu,
Faço amor com ela,
Toco-me!...
Sinto a sensível frescura chegar,
Agita-se delicada a mimosa,
Em verde-amarela voz, diz:
-Feliz?
Venho-me daquela amante,
Caminho sobre ela,
A mimosa atrevida e radiante,
De mim se despede,
A doce e verde voz amarela!

5 comentários:

L. Santos disse...

O beija flor é mesmo um beija FLOR!
Não me importava de passar o "bico" por esse néctar.
Pequeno poema que nos remete para adolescência, Natureza e... sexo, claro!

1 abrç

Rotiv disse...

Olá ;)
De visita :) a este cantinho :)
Do que li gostei, parabéns :)
Abraços

Francisco disse...

Anda por aqui a "virgem" do Gustave Courbet camuflada entre as mimosas ou acácias! Hmmm... mas esse beija-flor é um atrevidote.

Se a polícia vê etse poste ainda te apreende o blog:)))

abrç

Fragmentos Intemporais disse...

Simplesmente lindo!

Adorei cada palavra bebida num cálice de letras engolidas com agrado!

Um beijo meigo *

Daniel Savio disse...

Todos nós teremos um momento especial com aquela pessoa que amamos...

As vezes tórridos, as vezes calientes.

Fique com Deus, menino.
Um abraço.